Diretora do sindicato expõe em colóquio sobre pessoas trans

Diretora do sindicato expõe em colóquio sobre pessoas trans

Na tarde de ontem (9) aconteceu o colóquio “Vivências Trans” no anfiteatro II da Unesp de Prudente. Com o pedido de dispensa do trabalho feito pelo SINTRAPP, a diretora Alice Romanoff Capatto, do município de Mirante do Paranapanema, participou do evento compondo a mesa e fazendo uma exposição sobre suas experiências. Junto com ela, Nicolly Bueno e Tauan Rodrigues Oliveira compuseram a mesa.

Pessoas trans são aquelas que têm a identidade de gênero diferente do sexo que nasceram. Tal situação faz com que a maioria das pessoas trans busquem por adequar seu corpo ao gênero que se identificam. O tratamento consiste em acompanhamento psicológico e pela injeção ou ingestão de hormônios que ajudem a adequar o corpo físico à real identidade de gênero com que a pessoa se identifica.

Convivendo com todas essas mudanças e incertezas, as pessoas trans, além disso, também sofrem com a discriminação da sociedade. O preconceito é um fator que causa adoecimento dessas pessoas. É importante que todos e todas se sintam acolhidos pela sociedade independente de sua identidade de gênero, sexo, cor e sexualidade.

O evento

No colóquio, foi exibido o documentário “À Luz do Dia”, que mostra as dificuldades que a população trans enfrenta no mundo do trabalho e, em especial, no momento de conseguir um emprego formal. Esta dificuldade faz com que trans se tornem profissionais do sexo como forma de conseguir dinheiro.

Neste ponto, as questões de emprego e saúde pública se cruzam. Na busca pelo corpo ideal para os clientes, pessoas trans recorrem a métodos que não são seguros, como a aplicação de silicone e outros líquidos em seus corpos por pessoas que não têm a devida formação.

Autor: Itamar Batista