Prefeito desrespeita seu próprio decreto sobre suspensão de serviços não-essenciais

Prefeito desrespeita seu próprio decreto sobre suspensão de serviços não-essenciais

Uma das primeiras medidas da administração prudentina, adotada em vários municípios do Brasil e do mundo, foi a de suspender as atividades de serviços que não são essenciais para o combate à pandemia. Desde segunda-feira (23), está suspensa a maior parte da atividade comercial no município, ficando abertos apenas serviços extremamente necessários. O objetivo é diminuir a circulação dos trabalhadores e da população em geral.

De toda forma, a medida não abrange as servidoras e servidores do município. Considerando os decretos municipais e estaduais que estabelecem ações para o combate ao contágio da Covid-19, o Sintrapp protocolou uma reivindicação para que, trabalhadores que não desempenhem funções prioritárias neste momento, sejam dispensados para cumprir quarentena.



“O prefeito, quando publicou o decreto, se esqueceu de incluir as servidoras e servidores na quarentena”, comenta a presidenta do Sintrapp, Luciana Telles. A ideia é diminuir a circulação de pessoas nas ruas, mas servidoras e servidoras não foram dispensados de seus trabalhos. A dirigente sindical ressalta que todas as funções da categoria são importantes, mas acrescenta, com preocupação, que é necessário um olhar cuidadoso para proteger a saúde dos trabalhadores e também de toda a população. “Como o estado de quarentena é uma das principais medidas para o combate à pandemia, acreditamos que ele deveria ser oferecido às servidoras e servidoras também”, conclui.

Autor: Itamar Batista