Servidora, participe da 6ª Marcha das Margaridas!

Servidora, participe da 6ª Marcha das Margaridas!

Desde o ano de 2000, com pautas ligadas às lutas das mulheres, acontece a Marcha das Margaridas. A ação acontece a cada quatro anos para dar visibilidade a um conjunto de lutas dos movimentos de mulheres nas suas denúncias e protestos, ações de resistência e enfrentamento, proposição e pressão. Inspiradas pela história de Margarida Maria Alves (que deu nome ao movimento), dirigente sindical que foi assassinada em 1983 na Paraíba por defender os direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores rurais, mulheres de todas as regiões do país de reúnem para lutar na maior ação de mulheres da América Latina em prol de seus direitos. Em 2019, a marcha acontecerá nos dias 13 e 14 de agosto no Distrito Federal. Para as interessadas em participar do evento, o Sintrapp disponibilizará um ônibus para transporte das servidoras. As vagas são limitadas. Reserve a sua pelo Whatsapp (18) 99709-9735.

Veja abaixo um histórico dos temas de edições anteriores da marcha.

  • 2000 – “2000 Razões Para Marchar: Contra a Fome, a Pobreza e a Violência Sexista”
  • 2003 – “2003 Razões Para Marchar Contra a Fome, a Pobreza e a Violência Sexista”
  • 2007 – “2007 Razões Para Marchar Contra a Fome, a Pobreza e a Violência Sexista”
  • 2011 – “2011 Razões Para Marchar por Desenvolvimento Sustentável com Justiça, Autonomia, Igualdade e Liberdade”
  • 2015 – “Margaridas seguem em Marcha por Desenvolvimento Sustentável com Democracia, Justiça, Autonomia, Igualdade e Liberdade”

A marcha faz parte de uma ação estratégia das mulheres do campo e da floresta que integra a agenda permanente do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR). A coordenação é feita pela Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) e tem o apoio de diversas centrais sindicais, como a CUT.
Os principais temas são a luta por terra, água e agroecologia; pela autodeterminação dos povos, soberania alimentar e energética; pela proteção e conservação da sociobiodiversidade e acesso aos bens comuns; por autonomia econômica, trabalho e renda; por previdência e a assistência social pública, universal e solidária; por saúde pública e em defesa do SUS; por uma educação não sexista e antirracista e pelo direito à educação do campo; pela autonomia e liberdade das mulheres sobre o seu corpo e a sua sexualidade; por uma vida livre de todas as formas de violência, sem racismo e sem sexismo; por democracia com igualdade e fortalecimento da participação política das mulheres.

Confirme presença no evento no Facebook.

Autor: Itamar Batista