Servidores discutem ações para cobrar pagamentos da prefeitura

Servidores discutem ações para cobrar pagamentos da prefeitura

Reunidos em assembleia na noite de ontem (14), a partir das 18h30, servidoras e servidores de Prudente discutiram e deliberaram encaminhamentos para pressionar a prefeitura a fazer os pagamentos dos direitos suspensos e em atraso. Os debates foram pautados por falas de indignação sobre a gestão do prefeito Bugalho. “Nós vamos ter que pagar pela falta de organização da prefeitura?” questionou a servidora Valdirene.

O pagamento de 1/3 das férias
Previsto para estar na conta dos servidores na data de hoje (15), o pagamento de parte das férias ainda não foi feito pela prefeitura. Porém, conforme informações da administração, com a receita dos impostos do início do ano, tais pagamentos devem ser feitos na sexta-feira (17). Durante a assembleia, ficou decidido que uma comissão de servidores irá até a prefeitura na sexta-feira, às 14h30, buscar uma conversa com a administração sobre a situação dos pagamentos.

Efeito da paralisação de setembro
Além disso, a administração informou que, depois da grande paralisação de 4 de setembro do ano passado, os pagamentos de férias e licenças vendidas em 2018 e 2019 estão empenhados para pagamento na Secretaria de Finanças. Na prática, o empenho funciona como uma ordem de pagamento: na Sefin, os pagamentos são feitos por ordem de entrada dos empenhos. Assim, tais dívidas antigas da prefeitura, que devem ser pagas com recursos próprios, precisam ser quitadas antes dos pagamentos recentes. Alguns servidores, neste momento, se mostraram mais tranquilos com a garantia dos pagamentos dos direitos que foram suspensos há quase dois anos, pelo decreto 28.645/2018.    

Os cargos comissionados
Ponto que é alvo de críticas da categoria e sindicato, os servidores em cargos comissionados também foram tema da reunião. Uma das falas recorrentes, dita por vários servidores, foi a de que “a prefeitura virou um cabide de empregos”.  Em crítica à gestão e ao número de comissionados, Sonia Auxiliadora contou que “a arrecadação do ano passado não justifica o sufoco que os servidores passaram com seus pagamentos 2019”.

Autor: Itamar Batista

1 comentário até agora

Arnaldo Vila Real Neto Publicado em10:56 am - jan 17, 2020

Defenda seus interesses, este prefeito tá tentando fazer média com o povo de Prudente, cumpra o seu dever prefeito e pague oque deve aos professores não fique empurrando com à barriga como todos os políticos fazem e cuide melhor de sua cidade, que já foi melhor. Saudades de Agripino.