Sintrapp protocola representação por conta de transtornos com novo cartão alimentação

Sintrapp protocola representação por conta de transtornos com novo cartão alimentação

Servidoras e servidores enfrentam dificuldades em pagar compras utilizando o cartão da Sindplus

Desde o dia 1º de novembro, data da mudança para o novo cartão de vale-alimentação da categoria, servidoras e servidores passam por dificuldades no momento de pagar suas compras. A nova empresa, Sindplus, vencedora da licitação para gestão dos cartões, tem uma baixa aceitação nos estabelecimentos prudentinos e isso pegou os trabalhadores de surpresa.

A situação de alguns mercados que deixaram de aceitar o cartão a partir da última quinta-feira (5) preocupou o sindicato e trouxe transtornos para várias servidoras e servidores. A presidenta do Sintrapp, Luciana Telles, comenta que “alguns tiveram que passar pelo constrangimento de deixar suas compras no caixa porque o cartão não estava mais sendo aceito pelo mercado”. A sindicalista acrescenta que “desde domingo, representantes do sindicato percorreram os mercados e estabelecimentos para fiscalizar se o cartão estava sendo aceito”.

Diante disso, o departamento jurídico do sindicato elaborou um requerimento de providências que foi protocolado na sexta-feira. O documento, lista entre os motivos de transtornos, que comércios que constam na lista de credenciados à Sindplus não aceitam ou deixarão de aceitar tal cartão como forma de pagamentos e também cita a instabilidade no sistema da própria empresa que é fornecido aos estabelecimentos.

Ao final, o documento reivindica que a administração notifique a empresa para que cumpra com o que foi exigido no edital licitatório e, caso isso não seja feito, exige que o contrato com a Sindplus deverá ser rescindido. Uma cópia do mesmo documento foi encaminhada à câmara e uma reunião com os vereadores foi solicitada para a próxima sessão.

Reunião com Administração
Na reunião com representantes da administração o Sintrapp protocolou o documento e também encaminhou um relatório com os problemas informados pela categoria. Diante da reivindicação, a prefeitura informou que irá apurar a situação junto aos estabelecimentos. “Vamos cobrar da administração um posicionamento incisivo para garantir que as servidoras e servidores não sejam prejudicados”, enfatizou a presidenta do Sintrapp.

Autor: Itamar Batista

2 Comentários

Neuza da costa Duarte Publicado em2:56 pm - nov 6, 2020

Quero uma solução. Resolvam isso com urgência…

Silvana Publicado em9:11 am - nov 8, 2020

Ao que parece, os supermercadistas estao “boicotando” a empresa e nós ficamos no fogo cruzado. Nao cabe uma representaçao junto ao Procon?